top of page
  • Foto do escritorAssessoria de Comunicação

Projeto Nova Vida busca promover a humanização de pessoas em situação de rua



A Prefeitura de Cruzeiro do Sul, através do gabinete do vice-prefeito Henrique Afonso e da secretaria municipal de assistência social realizou o lançamento no sábado, 03, pela manhã o Projeto Nova Vida.

Trata-se de um projeto de ação emergencial criado no gabinete do vice-prefeito Henrique Afonso que preocupado com o aumento no número de pessoas em situação de rua, vem desde o início da gestão buscando meios de enfrentamento ao problema. O projeto foi abraçado pela Secretaria Municipal de Assistência Social.


Inicialmente foi feito um mapeamento destas pessoas a fim de conhecer a situação particular de cada um. Foi constatado que a maior parte destas pessoas sofrem de algum tipo de dependência química. O projeto envolve, portanto, parceria com as casas terapêuticas atuantes em Cruzeiro do Sul, a fim de destinar vagas para estas pessoas.


O lançamento do projeto consistiu em um café da manhã com as pessoas em situação de rua.

“Fazemos questão de frisar que foi um café da manhã COM e não apenas PARA os moradores de rua. Isso porque nosso objeto é aproximar, humanizar. O próprio vice-prefeito esteve junto com eles, bem como a secretária de assistência social Delcimar Leite, vereadores, o Grupo JEV da Renovação Carismática da Igreja Católica, o Secretário Municipal de Trânsito, Jonas Torres e toda equipe do CRAS e CREAS”, explicou a Secretária Adjunta de Assistência Social, Rosa Oliveira.


Já neste primeiro encontro, quatro pessoas em situação de rua decidiram, por vontade própria, buscar internação em uma das casas terapêuticas de Cruzeiro do Sul. Uma delas, uma mulher grávida que sofre de epilepsia, será imediatamente internada para receber a ajuda necessária.


“Serão duas vezes por mês, e já nesse primeiro encontro tivemos um impacto positivo, com estas quatro pessoas que decidiram buscar ajuda. Teremos mais encontros e acredito que mais pessoas virão. O objetivo é esse e estamos muito felizes”, disse a Secretária de Assistência Social, Delcimar Leite.


Durante os encontros, além do café da manhã e da presença de pessoas da gestão, são trazidas canções de louvor e depoimentos de pessoas que já estiveram em condições semelhantes.


“Eu já estive no fundo poço através da droga, uma dependência muito grande. Lá no fundo poço eu só via a minha imagem. Foi quando fui para a Fazenda Esperança e fui recuperado. Hoje estou aqui reconquistei a confiança da minha família e dos que vivem ao meu redor, hoje vivo  em paz, tudo na vida tem que ter o amor, e hoje é o que eu tenho. Um conselho que dou é que não tenha vergonha de procurar a ajuda Fazenda Esperança, APADEQ, Caminhos de Luz Reviver, pois sempre que levo um irmão para recuperação não tem dinheiro que pague a felicidade que eu sinto”, disse José Menezes, colaborador do projeto.


“Eu vivi 33 anos no mundo das drogas, dormindo em cemitério, fui agredido, mas há 11 anos Deus tocou no meu coração, e deixei entrar. Desde então minha vida mudou e sou a prova de que qualquer pessoa pode conseguir também”, disse Adonis Teles Cameli.


“A gente está saindo daqui com uma satisfação muito grande. O prefeito Zequinha está tendo essa sensibilidade neste projeto de ação emergencial para que as pessoas possam voltar ao seio das famílias e voltem a interagir com a sociedade. Estou emocionado com cada história que é contada. São pessoas que são invisíveis e que precisam muito desse olhar que a gestão está buscando ter” , disee o vice-prefeito e idealizador do projeto Henrique Afonso.


100 Igrejas irão adotar cada uma, um morador de rua. O Projeto Nova Vida conta muito com a parceria das igrejas e comunidades religiosas de Cruzeiro do Sul. Graças ao diálogo institucional desenvolvido pelo vice-prefeito, 100 igrejas aderiram ao projeto.  Segundo o último cadastro realizado pela secretaria municipal de assistência social, existe um número flutuante em torno de 90 moradores em situação de rua em Cruzeiro do Sul.


“Tivemos uma reunião com líderes evangélicos e católicos, bem como as comunidades para nos unirmos nesta ação emergencial. Cada igreja vai adotar um morador de rua acompanhar, chamar a para missa culto, orar, visitar a família até que saiam da rua para retomar sua dignidade”, explicou o vice-prefeito.


Com relação ao conforto espiritual, o projeto busca um apoio interdenominacional, ou seja, envolvendo grupos, ministérios e coletivos religiosos independente de denominação. Católicos, evangélicos e outros poderão se somar ao projeto.

Segundo a psicologia e assistência social voltadas à recuperação de dependentes químicos, a religiosidade e a espiritualidade são pontos importante no tratamento bem como o convívio social, fortalecem as medidas de prevenção e seguridade para com o adoecimento. De acordo com pesquisas realizadas junto à este público, a espiritualidade e a religiosidade funcionais seriam capazes de reduzir o quadro de ansiedade, desenvolvido com mais intensidade nos dependentes químicos. A espiritualidade e a religiosidade auxiliam no controle desses sentimentos, o que é fundamental para conquistar a remissão da doença e afastar a possibilidade de recaídas.


Na ocasião foram oferecidos cantos de louvor pelo grupo JEV – ligado à ação Cáritas da Igreja Católica. Outros grupos estão convidados a participar.



Comments


bottom of page