top of page
  • Foto do escritorAssessoria de Comunicação

Prefeitura realiza encontro com produtores do Valparaíso para fornecimento de merenda escolar


Uma comitiva da Secretaria Municipal de Educação realizou uma série de reuniões com produtores rurais de comunidades ribeirinhas do rio Valparaíso, no Alto Juruá.


O objetivo é ajudar os produtores a se organizarem para o fornecimento de merenda escolar para as 11 escolas da região.

“O que estamos fazendo no Valparaíso é um piloto do que iremos fazer em toda zona rural de Cruzeiro do Sul, no sentido de habilitar os produtores a fornecer merenda escolar diretamente para as escolas onde seus filhos estudam”, explica o secretário adjunto de educação Valdenísio Martins.


O secretario adjunto esteve presente nas reuniões que ocorreram em três comunidades do rio Valparaíso no último sábado, 21, a começar pela comunidade Três Bocas. Estiveram presentes também o Promotor de Justiça Leonardo Honorato, o professor da UFAC Augusto Nagy e uma nutricionista contratada para avaliar o cardápio mais adequado do ponto de vista nutricional, a partir da oferta de produtos da agricultura familiar regional.



“Neste primeiro momento, o objetivo foi fazer um levantamento dos produtos disponíveis para serem fornecidos”, explicou o secretário adjunto.

Mandioca, batata-doce, inhame, banana, laranja, açaí, buriti e patoá, hortaliças como couve, alface, cebola de palha, coentro, pepino, e mesmo produtos de origem animal como ovos, galinha e até peixe podem fazer parte da merenda.


“Por lei, no mínimo 30% da verba federal deve ser adquirida direto dos produtores. Neste primeiro momento, a Prefeitura de Cruzeiro do Sul dispõe de cerca de R$380 mil reais para serem investidos na compra de merenda escolar da agricultura familiar para as 11 escolas da região do Valparaíso em 2023. O objetivo é ampliar para toda zona rural, incluindo ramais e ribeirinhos”, explica.


No entanto, um dos obstáculos para o cumprimento da lei de 2011, é a dificuldade que o produtor tem em conseguir cumprir a burocracia e se tornar legalmente apto a ser um fornecedor de merenda escolar. Nesse sentido, o Ministério Público, na pessoa do promotor de justiça Leonardo Honorato, vem buscando dar o apoio legal necessário para que juntos, prefeitura e produtores, possam alcançar este objetivo.


Uma das vantagens para o produtor, é que será pago o valor de mercado pela produção, incorporando à renda familiar parte do valor que normalmente fica com o atravessador dos produtos. Além disso, os estudantes terão acesso a um alimento de melhor qualidade, isento de defensivos agrícolas e entregues em curto prazo de tempo, ou seja, diretamente da horta para a merenda.

Para a secretaria de educação significa redução dos custos com transporte, além de proporcionar melhor alimentação aos estudantes.


“O setor de merenda tem uma grande dificuldade em levar os produtos até a última escola. Acontece de chegarem já impróprios para consumo, especialmente produtos perecíveis como banana, mamão e hortaliças. Com o programa de compra direta de merenda escolar do produtor, esses alimentos irão chegar muito mais depressa para os estudantes, e com lehor qualidade”, concluiu.

A próxima etapa agora consiste em cadastrar cada produtor interessado em fornecer merenda escolar para retirar a documentação necessária.



Comentarios


bottom of page