Prefeitura promove curso de artesanato com valorização das fibras de buriti e banana




Incrementar arte a objetos de utilidade e gerar renda a partir de dois tipos de plantas que geralmente só se aproveita os frutos. Este é o propósito de um projeto da Secretaria de Turismo de Cruzeiro do Sul, que está ofertando um curso de tecelagem de fibras do buriti e da banana.


Nesta terça-feira (28), teve início a segunda etapa do curso. As aulas ocorrem no salão paroquial e serão ministradas até a próxima sexta-feira (1º de julho). Esta é a parte prática do projeto. As aulas teóricas já tinham sido realizadas no mês de abril. De acordo com a secretária de turismo e empreendedorismo do município, Gleiciane Cruz, o curso ainda terá uma terceira fase.


“Essa é uma técnica nova, juntando essas duas fibras que possibilitam a confecção de vários tipos de produtos que, na realidade, são obras de arte para colocar no mercado. Às vezes, as pessoas chegam aqui e querem levar uma lembrancinha, uma peça decorativa, e vão ter a oportunidade de encontrar. Para encerrar essa qualificação, vamos, inclusive, fazer uma feira para expor os produtos”, garantiu Gleiciane.


Com fios das folhas e do caule das duas espécies de plantas bem comuns na região, hoje é possível produzir uma infinidade de produtos utilitários como luminárias, vasos, mesas, cadeiras, quadros e diversas outras peças decorativas. Os alunos são, na grande maioria, mulheres que estão apostando no artesanato como uma alternativa de angariar recursos para suas famílias. Este é o caso da dona de casa Celina Lopes, que aos 60 anos se identificou com a técnica de tecelagem.


“Estou aprendendo muito. Eu nunca pensei que a banana poderia ser aproveitada dessa forma. Ninguém perde nada, a gente faz do vaso de água para bebedouro, o litro de água sanitária, marmitas, quadros e muitas outras coisas. Quero fazer de tudo e, se Deus quiser, vamos montar uma cooperativa e trabalhar”, disse Celina.


O vice-prefeito Henrique Afonso prestigiou o início da segunda etapa do curso. Ele ressaltou que o município de Cruzeiro do Sul se apresenta como um grande potencial turístico para o mundo e que a qualificação dos artesãos locais também é essencial para atender os interesses de quem visita a cidade.


“Sempre coloco uma atividade como essa dentro do contexto do grande potencial que Cruzeiro do Sul tem, que é do fomento e incentivo ao turismo. Toda região do Juruá é vocacionada para esse setor e esse trabalho traz uma novidade para o artesanato. Por isso, temos que potencializar, pois serve para que o mundo possa enxergar o nosso potencial”, disse Henrique.








0 comentário