top of page

Prefeitura entrega material de proteção e fardamento para "chapas" que trabalham no porto


(Fotografias: Jhonatas Fabrício)

Reportagem: Francílio Nascimento

Texto: Mazinho Rogério

Os autônomos que trabalham no embarque e desembarque de cargas no porto de Cruzeiro do Sul foram contemplados com cintas de proteção e fardas na manhã desta terça-feira, 21.  O prefeito Zequinha Lima fez a entrega do material que vai facilitar o trabalho de 24 "chapas" que atuam na cidade.


A prefeitura atendeu uma solicitação dos trabalhadores e fez a compra das cintas e das camisas que foram distribuídas. O estivador Leonardo Muniz recebeu o material e disse que o fardamento vai servir para que eles possam ser identificados como profissionais que exercem uma atividade importante no porto do município.


"Trabalhávamos discriminados, confundidos com usuários, mendigo ou morador de rua. Não trazíamos uma roupa nova porque é um serviço que a gente se suja a todo instante, por isso tinha essa discriminação. Agora, vai melhorar porque vamos ter uma identificação. Agora somos identificados e na hora que as pessoas precisarem  dos nossos serviços vão  saber a quem procurar", afirmou Muniz.


Durante a entrega do material, o prefeito Zequinha Lima afirmou que a prefeitura também vai apoiar os trabalhadores para que eles se formalizem como uma categoria legalizada.


"Em uma das minhas andanças, por acaso, encontrei uma dessas pessoas que chamam de chapa que são estivadores. Ele veio pedir uma ajuda dizendo que se sentiam discriminados, não tinham nada que os identificassem, como um crachá, uma farda. Eu me comovi e hoje, viemos entregar duas camisas para cada um e uma cinta para que possam  fazer a proteção da coluna. A partir de agora, certamente, eles não serão mais discriminados, porque agora tem uma camisa identificando o nome do chapa, tem uma cinta pra dar mais segurança. É uma maneira de garantir um pouco de dignidade a essas pessoas. E vamos também organizá-los associação ou em forma de cooperativa para eles possam ter seus direitos garantidos e possam conquistar ajuda de outras instituições para  melhorar o dia a dia", afirmou Zequinha.



bottom of page