Prefeitura de Cruzeiro do Sul realiza acompanhamento de população em situação de rua


A Prefeitura de Cruzeiro do Sul, por meio das coordenações de saúde mental, vigilância epidemiológica e atenção básica de saúde - da Secretaria Municipal de Saúde - vem realizando, desde o ano passado, ações voltadas para a população de rua. As ações também contam com o apoio de estudantes da UFAC.

As ações visam prevenir o contágio de doenças oportunistas e realizar uma política de redução de danos junto a esta população vulnerável.

“Temos realizado o acompanhamento da população de rua, que aumentou significativamente, devido ao uso de crack”, explica Hamilton Mota, coordenador de saúde mental.

O cadastro da secretaria aponta cerca de 90 pessoas em situação de rua, sendo, cerca de 60 destes, moradores. E os demais vivendo na rua, eventualmente, devido ao uso do entorpecente.

As ações que estão sendo desenvolvidas, incluem testes rápidos de doenças infectocontagiosas, além de palestras de conscientização e distribuição de preservativos.

Na última quinta-feira, 27, foi realizada a sexta ação direcionada a essa população. As ações irão ocorrer, semanalmente, durante três meses, nos locais de concentração dessa população, como no antigo TRE, no centro da cidade e na área da ponte da união.

“Realizamos um trabalho na perspectiva da política de redução de danos, ou seja, reduzir o dano causado pelo uso”, explica Mota.

As ações contam com as equipes das duas coordenações, além de médico, enfermeira e agente comunitário de saúde.

“É importante a conscientização de todos de que se trata de uma população marginalizada, esquecida, mas, que são seres humanos que precisam de cuidados na saúde, alimentação e hidratação. Não é o caso de julgar ou prender, uma vez que a maioria sequer comete pequenos crimes. Muitos pedem ou fazem pequenos trabalhos, alguns inclusive tem casa. Queremos, além de fazer o bloqueio, cuidar dessas pessoas”, concluiu.

“O SUS é para todos. É nosso papel cuidar das pessoas que mais precisam, ter um olhar também para aqueles que, por razões diversas, acabam marginalizados”, explica Valéria Lima, secretária municipal de saúde.

“Nossa gestão deve se ocupar de todas as pessoas. Todos têm o direito à vida e à saúde, que são garantias constitucionais inclusive. Então, a gestão deve olhar também para essas pessoas”, diz o prefeito Zequinha Lima.







0 comentário