top of page
  • Foto do escritorAssessoria de Comunicação

Prefeitura de Cruzeiro do Sul prepara campanha de combate à hanseníase


O primeiro mês do ano é dedicado, pela Organização Mundial da Saúde, para a mobilização social com a finalidade de intensificar os meios de combate e prevenção da hanseníse.Sendo assim, a Prefeitura de Cruzeiro do Sul deu início à campanha controle da doença e a primeira atividade foi a capacitação dos agentes endemias e dos agentes comunitários de saúde, realizada nesta terça-feira (17), no Teatro dos Nauas.


Mais de 300 profissionais da Secretaria Municipal de Saúde participaram do treinamento e receberam informações para orientar às pessoas sobre os cuidados para evitar a hanseníase, as formas de saber se foi acometido da doença e como é o processo de tratamento.


"O Brasil é o segundo país com o maior número de casos de hanseníase e, como a base de tudo são os agentes comunitários e saúde e os de endemias, o objetivo aqui é passar para eles que devem fazer a busca ativa. Alguma mancha ou dormência que alguém tenha existe a possibilidade de ser a presença dessa doença e eles precisam levar essa pessoa a uma unidade básica de saúde. Outra coisa é ensinar sobre o acolhimento para que um paciente que seja diagnosticado não se sinta excluido. A hanseníase é uma doença como qualquer outra e não se pega por beijo ou abraço ou qualquer contato rápido", disse a médica infectologista, Ritade Cássia Lima.


Durante o treinamento também foi destacado que o diagnóstico precoce é de extrema importância para garantir a cura e o tratamento eficaz e evita as sequelas graves como acontecia.


"Além dessa atividade com os agentes de saúde temos outras a serem realizadas. A próxima é no Nari do Moa e a outra é, no dia 26, no posto de saúde do Aeroporto Velho. Então, nós queremos convidar as pessoas que tenham algum sintoma, a procurar algumas dessas unidades de saúde', alertou a enfermeira Rafaela Oliveira, responsável pela Vigilância Epidemiológica do município.


Cruzeiro do Sul tem três unidades básicas de saúde como referência no atendimento dos pacientes da hanseníase. Além do posto do Nari do Moa, na Vila Assis Brasil, e do Adalberto Sena, no Aeroporto Velho, a unidade básica da Vila Santa Luzia também é referência no atendimento. O município registrou 14 casos de hanseníase em 2020, em 2021 foram 11 casos e 10 casos foram diagnosicados em 2022.






Comments


bottom of page