Prefeitura de Cruzeiro do Sul e parceiros debatem políticas públicas para ajudar moradores de rua

Atualizado: 14 de abr.


Na manhã desta quarta-feira, 13, a Prefeitura de Cruzeiro do Sul, promoveu no auditório da Faculdade de Educação a Distância (Cedup), uma audiência pública para tratar da questão dos moradores de rua no município.

O vice-prefeito Henrique Afonso, que esteve na audiência, explicou a importância do tema: "Estamos instituindo um grupo de trabalho, que já conta com uma rede integrada, para discutir profundamente o problema dessas pessoas que estão em situação de rua". E continuou: "Só na nossa cidade temos 41 pessoas que estão nessa condição. É um grande desafio que a prefeitura, sozinha, não consegue resolver. Por isso, precisamos dos diversos parceiros, pra construir ações práticas que possam refletir de forma positiva na vida dessas pessoas", disse Henrique.

Na audiência pública foram firmadas três ações importantes: a implantação de uma Casa de Acolhimento, o Centro de Atenção Psicossocial (Caps 3) - fruto de parceria com o Governo do Estado - que estará aberto 24 horas. E também o início, a médio e longo prazo, do prejeto Moradia Primeiro, do Governo Federal.

A Prefeitura de Cruzeiro do Sul, por sua vez, já vem desenvolvendo um trabalho para ajudar pessoas em situação de vulnerabilidade, como explica o coordenador do Creas (Centro de Referência Especializado em Assistência Social), Madson Cameli: "Nós fazemos uma busca ativa para encontrar pessoas nessa situação de rua. Nós identificamos, buscamos acolher e zonear os locais onde essas pessoas estão vivendo, para que possamos trabalhar e contribuir para uma possível ressocialização", conta Madson.

Entre os líderes religiosos, esteve presente o bispo Dom Flávio Giovenale, que disse: "Há anos temos acompanhado essas pessoas. Mas, agora a situação vem piorado bastante, o número aumentou muito". E seguiu: "Estamos aqui para unir forças. O trabalho que é desenvolvido pelas igrejas, pelo poder público e por outras instituições, pode formar uma grande rede para buscar soluções para esse grave problema", disse o bispo.

Para o pastor e representante do Centro de Recuperação Casa Reviver, Elians Monteiro, a audiência pública teve muita importância: "Nós trabalhamos com público e conhecemos a realidade. Por isso, eu acredito que essa audiência pública pode criar outros mecanismos e dar um norte para a vida dessas pessoas". E seguiu: "Juntos podemos fazer muito mais", comentou o pastor.

Essa é uma situação que está preocupando todos nós em Cruzeiro do Sul. Nosso prefeito Zequinha Lima, entende as questões sociais como prioridade da gestão, por isso, estamos buscando as parcerias e as melhores alternativas para solucionar esse grave problema das pessoas que estão vivendo nas ruas da cidade. Nós precisamos e vamos construir mais políticas públicas de ressocialização", afirmou o vice-prefeito Henrique Afonso.







0 comentário