Prefeitura de Cruzeiro do Sul celebra e fortalece rede de proteção às mulheres


A violência doméstica contra mulheres e o feminicídio tem recebido uma atenção especial por parte da atual gestão da prefeitura de Cruzeiro do Sul. Por esta razão, foi criada uma coordenação especial de políticas públicas para as mulheres para dialogar com diversos setores do poder público e sociedade civil a fim de combater estas e outras questões relativas à violência de gênero.

“Nesse mês de março, que é nosso mês, nos reunimos numa rede de proteção da mulher onde temos mulheres fortes e empoderadas, onde nos damos as mãos para ajudar a resolver problemas de outras mulheres, colaborar na vida de outras mulheres que precisam de nós”, disse a coordenadora municipal de políticas públicas para mulheres, Sergiane Silva.

O encontro para fortalecer e celebrar os laços de apoio mútuo às mulheres aconteceu durante um café da manhã em alusão ao Dia da Mulher, realizado pela Rede de Proteção às Mulheres em Cruzeiro do Sul. Na ocasião, estavam presentes a primeira-dama do município Lurdinha Lima, a secretária de assistência social, direitos humanos e de políticas para as mulheres- SEASDHM, Ana Paula Lima, bem como coordenadores do CRAS, CREAS, secretaria adjunta da secretaria municipal de desenvolvimento social, o bispo da diocese, Dom Flávio, e outros. Segundo a secretária, Cruzeiro do Sul estaria sendo um modelo na rede de proteção à mulher.

“Especialmente neste mês da mulher, estamos aqui em Cruzeiro do Sul. É uma honra e uma alegria para mim como mulher e representante do estado, estar aqui neste que é um município modelo em relação a rede de atendimento de proteção a mulher”, disse a secretária Ana Paula.

A preocupação com o aumento dos índices de violência durante a pandemia é compartilhada entre os parceiros da rede de proteção, que buscam implementar programas para combater o problema.

“No município e no estado o índice de feminicídio e violência contra a mulher especialmente durante a pandemia aumentou muito, o que tem sido um desafio para nós. Estamos aqui para fortalecer essa rede, lançar a campanha sinal vermelho, trazendo capacitação junto à secretaria de segurança do estado, farmacêuticos, ação de prevenção para que a gente possa minimizar e combater toda e qualquer violência contra a mulher”, concluiu a secretária.

“Em Cruzeiro do Sul temos uma rede de proteção da mulher que envolve prefeitura, CREAS, CRAS, sociedade civil, através do grupo de mulheres, OAB mulher, saúde, ministério público, além da participação da Igreja católica através da diocese . Enfim, um grupo muito forte que temos para dar as mãos e colaborar com a vida dessas mulheres”, concluiu a secretária Sergiane Silva.





0 comentário