Prefeitura de Cruzeiro do Sul apoia projeto piloto de Zootecnia da UFAC

Silagem traz ganho de produtividade por área e diminui necessidade de desmatamento




Um projeto experimental conduzido pelo professor de zootecnia do curso de engenharia agronômica da UFAC, Luís Farinatti, vem obtendo resultados positivos no ganho de produtividade por área. Trata-se do sistema de silagem. O método já é aplicado com sucesso em muitos estados brasileiros e resultam na intensificação a produção pecuária e substituindo a necessidade de abertura de novas pastagens.



O método de silagem consiste em compostar milho e cana-de-açúcar triturados, de modo que juntos fermentem e ao final, resultem num alimento mais nutritivo para o gado do que o pasto. A técnica permite reduzir em um ano o tempo necessário para que os bezerros alcancem o peso de comercialização. Com a silagem, o proprietário tem todo sucesso na criação de até 19 bezerros de cerca de 300kgs em apenas 3 hectares. No método convencional de pastagem extensiva, o usual é criar dois animais por hectare.


A silagem traz um ganho de produtividade para o pecuarista, e também um ganho ambiental.

“Estamos aqui numa produção de silagem através de material forrageiro como milho e sorgo, trazendo um aumento de produção, melhor aproveitamento da área, redução da utilização de grandes áreas e também a preservação do ambiente, com menor desmatamento e impacto ambiental devido ao aumento da fertilidade do solo”, explica o professor Farinatti. E continuou:

“Aqui temos a participação da UFAC, PIBIC (programa de bolsa de iniciação científica), extensão e conclusão de curso, Fazenda Três Irmãos, com apoio da SEMAPA (Secretaria Municipal de Agricultura Pesca e Abastecimento), SEPA e colaboração da ADAF do Amazonas”, conclui o professor.



O projeto conta com a participação de seis acadêmicos do curso de engenharia agronômica, entre iniciação científica, extensão e conclusão de curso.

Estudante do 7° período do curso de engenharia agronômica do Campus Floresta da UFAC, Felipe Marcelino é bolsista do PIBIC (Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica) e participa do projeto.


“Este conhecimento que a gente adquire no dia a dia é a gente leva para o resto da vida. Aqui aprendi muita coisa. Também sou filho de agricultor e quero levar para outras propriedades. Este foi um projeto exaustivo, mas também muito gratificante pelos resultados”, explica o bolsista Felipe.


A prefeitura contribuiu na gestão anterior com o empréstimo de maquinário para a compactação. Nesta gestão, o objetivo é apoiar e ampliar as parcerias entre UFAC, IFAC e produtores rurais.

“Aqui é um projeto que já deu certo e, portanto, agora queremos levar para outros produtores. Diminui o tempo de produção, contribui com a questão ambienta, já que não vai ser preciso abrir outras áreas para produzir e aumenta a produtividade. Tem vários ganhos nesse experimento. Projetos como esse melhoram as condições do nosso produtor, e esse é o papel da secretaria: apoiar os produtores a melhorar a sua vida”, disse o Secretário de Agricultura Pesca e Abastecimento, Elenildo Souza.


Tendo sido definida como missão estratégica da secretaria: “Promover o desenvolvimento econômico e tecnologia das populações rurais, tradicionais e indígenas, garantindo melhor qualidade de vida para todos” O projeto vem de encontro aos objetivos da atual gestão, de ampliar o acesso à tecnologia e ciência, no campo, para ganhos de produtividade e qualidade de vida do trabalhador rural.


“Queremos através de parcerias como esta, facilitar o acesso do produtor rural às mais novas tecnologias de produção, ao mesmo tempo em que os filhos dos agricultares, possam adquirir estas técnicas e transmitir para outros produtores. Acredito que deste modo vamos promover uma grande transformação positiva no setor agropecuário de nossa cidade”, disse o prefeito Zequinha Lima.

0 comentário