top of page
  • Foto do escritorAssessoria de Comunicação

Prefeitura de Cruzeiro do Sul avalia danos após intensas chuvas na cidade


Equipes da Defesa Civil e da Secretaria Municipal de Obras têm percorrido os bairros de Cruzeiro do Sul para avaliar os danos causados pelas fortes chuvas que caíram sobre a cidade nas últimas horas.


Foram cerca de 12 horas de chuva ininterrupta que já ultrapassaram o volume de água previsto para o período.“A previsão inicial era de 56 mm de chuva distribuídos em dois dias, mas nas últimas horas já foram 90 mm e há previsão de mais chuvas para a região”, explica José Lima, coordenador da Defesa Civil Municipal.


O monitoramento do rio Juruá pela Defesa Civil é constante. Com cerca de dez metros, o Juruá ainda permanece distante da cota de alerta que é de 12 metros.


Apesar disso, a intensidade das chuvas já vem causando danos à infraestrutura da cidade. Deslizamentos e desbarrancamentos foram registrados.


Entre as providencias que estão sendo tomadas está a retirada de pessoas de locais de risco e  a colocação de lonas para conter a infiltração das chuvas em locais já danificados.   


Um dos locais visitados pela equipe da secretaria de obras foi em uma área do 61° BIS onde ocorreu um deslizamento de terra próximo a um pavilhão.

“Nossa equipe foi chamada para avaliar e dar orientação técnica e já serão tomadas providencias para não permanecer ninguém nessa área e fazer a proteção para evitar agravamento”, explicou o Secretário Municipal de Obras, Josinaldo Batista.


Outro exemplo de dano que foi avaliado pelas equipes foi o rompimento de uma sarjeta seguida da queda de uma mureta próxima a um padrão de energia de uma residência na Rua Paraíba, no Bairro do Colégio. A avaliação das equipes é de que a casa não corre risco, mas ainda assim são necessários cuidados. “Já estivemos lá e já orientamos como proceder”, explicou Josinaldo Batista.


A avaliação geral da Defesa Civil, ainda em andamento, é de que apesar dos danos e transtornos ocasionados, não há até o presente momento riscos à integridade física das pessoas. Também não houve até o momento a necessidade de promover a retirada de famílias das áreas atingidas, mas as equipes estão de prontidão caso esse cenário mude.


“Também ainda é cedo para uma avaliação quanto à extensão dos danos que poderão trazer prejuízos à infraestrutura urbana do município. Somente depois das chuvas é que poderemos ter uma noção mais precisa dessa situação”, concluiu José Lima.


“A prefeitura vai estar em alerta nos próximos dias, semanas e meses se for necessário. Sabemos que chuvas e alagamentos são condições da natureza que não podemos controlar, mas podemos sim, e devemos, estar atentos para diminuir os prejuízos e principalmente os riscos à vida das pessoas, que é o nosso bem maior”, disse o prefeito Zequinha Lima.




Comments


bottom of page