Grupo de Assistência Social e Humanitária intermedia doações e beneficiados

Atualizado: 22 de out.


O ato de doar e a caridade são compreendidos na moral cristã como uma ação que aproxima as pessoas de Deus. Talvez por esta razão, em um povo tão religioso como de maneira geral é o cruzeirense, as ações humanitárias, de caridade e assistência voluntária das mais variadas formas sejam uma parte importante da vida social da cidade.


Ações como a que a Escola Gente Miúda promoveu ao arrecadar roupas, calçadas, alimentos e brinquedos entre as famílias dos alunos de ensino infantil. A ação de arrecadação já ocorre de maneira periódica por iniciativa da diretora da escola, Ivânia Magalhães.



Na outra ponta, como beneficiada da ação, está a Casa Madre Tereza de Calcutá, uma ação social da Comunidade Católica Shalom que ocorre no Bairro da Lagoa. A casa, localizada no espaço da antiga creche do Trapiche da Lagoa, existe há mais de 10 anos e atende 27 crianças entre 6 aos 12 anos de idade e suas famílias, com ações que atendem tanto às crianças quanto às suas famílias.


A casa promove palestras voltadas para este público em situação de vulnerabilidade social, tratando de temas difíceis, porém necessários como a violência e o assédio moral e sexual a que muitas vezes estas crianças e suas famílias estão sujeitas. Além disso, a Casa Madre Tereza de Calcutá realiza aulas de violão e canto, inglês, alfabetização e informática.


Recentemente a casa também promoveu em parceria com o SENAC cursos de culinária e artesanato para as mães das crianças, como forma de facilitar a reinserção no mercado de trabalho.


“A Casa vive totalmente de doações e de voluntariado, por esta razão sempre temos buscado redes de apoio para fortalecer e futuramente ampliar o nosso trabalho. Por esta razão procuramos a primeira-dama Lurdinha, que por estar à frente das ações humanitária da prefeitura, poderia nos ajudar”, explica a missionária Aline Pinto, responsável pela casa.


Lurdinha Lima coordena o GASH – Grupo de Grupo de Apoio ao Serviço Humanitário, criado justamente para coordenar e facilitar o acesso entre as doações e os grupos que necessitam deste apoio, como é o caso da Casa Madre Tereza de Calcutá.

“Quero agradece nossa diretora Vânia que da escola gente miúda que realizou uma linda caminha de doação de brinquedos, roupas, calçados, brinquedos novos e usados das crianças, e agradecer aos pais das crianças que conseguiram fazer uma belíssima campanha de conscientização e desapego de objetos que as crianças não utilizam mais e destinando para outras crianças em situação de vulnerabilidade social, resgatar esta questão de valorizar o próximo e levantar a autoestima de muitas crianças, parabéns a todos e dizer que o serviço humanitário sempre está de portas abertas para atender toda e qualquer parceria para ajude a cuidar de pessoas em situação de vulnerabilidade social para que possamos estender nossas mãos”, disse a primeira-dama e coordenadora do GASH, Lurdinha Lima.



“Queremos ajudar a construir uma cultura de paz. Muitas vezes, o maior beneficiado não é a pessoa que recebe a doação, mas quem a faz, que tem seu coração tocado por Deus”, conclui Aline Pinto.


O objetivo da casa é ampliar as atividades para abranger jovens entre 15 aos 20 anos, os ajudando com ferramentais práticas e valores morais, a enfrentar questões como a violência e drogas. A casa está aberta a receber ações de voluntários.




0 comentário