top of page

Dengue teve redução de 52% em Cruzeiro do Sul mas campanha será intensificada

Cruzeiro do Sul adotou medidas de combate ao Aedes Aegypti e teve queda significativa no número de casos da doença



Em 2022 foram registrados 1.487 casos de dengue em Cruzeiro do Sul. Neste mesmo período em 2023, foram 707 casos, com redução de 52% nos números. Segundo o coordenador de vigilância Entomológica do município, Leonísio Messias, a redução é resultado de um trabalho continuado de prevenção e controle da doença, que conta com a colaboração da população.


A Prefeitura de Cruzeiro do Sul tem intensificado as ações com as equipes da Saúde, de casa em casa e com a  Secretaria de Meio Ambiente ,que realiza mutirão de limpeza para eliminar os focos do mosquito Aedes aegypti.



Nesta sexta-feira, 12, o mutirão dos Agentes de Endemias, atua no bairro São Cristóvão. A ação tem borrifação, verificação de quintais, eliminação dos focos e orientação educacional para os moradores.



“Estamos realizando visitas domiciliares, e junto com os moradores  eliminamos focos. Passamos orientações quanto ao cuidado com os quintais, que devem ficar sem água parada ”, explica o coordenador de vigilância Entomológica do município, Leonísio Messias.



O número de casos no bairro São Cristóvão cresceu nos últimos dias.   Segundo o presidente da associação de moradores da localidade, Andrescleumo Silva, essa ação é muito importante.


" Agradecemos a gestão do  prefeito Zequinha Lima. Com o crescente número de casos de dengue no nosso bairro, entramos em contato e o pessoal já está aqui fazendo um excelente trabalho ”, disse ele.


A moradora do bairro São Cristóvão, Maria José Souza, pontuou sobre a iniciativa. “Essa ação é ótima, porque sempre usamos inseticida nas nossas casas. Com essas equipes aqui é melhor porque eles borrifam tudo e afastam o mosquito", relata.



" A prevenção é a melhor forma de combater a doença. Evitar acúmulo de inservíveis, não estocar pneus em áreas descobertas, não acumular água em lajes ou calhas, colocar areia nos vasos de planta e cobrir bem caixas d’água , receber a visita do agente de saúde, são algumas iniciativas básicas. Todo local de água parada deve ser eliminado, pois é lá que o mosquito transmissor", pontua Leonísio Messias.


Equipes e investimentos


Mais de 130 profissionais atuam no combate a dengue e malária em Cruzeiro do Sul. Verificam 42 mil residências no município, realizando anualmente mais de 252 mil visitas.



A gestão do prefeito Zequinha Lima investe anualmente mais de R$ 750 mil no combate a dengue, na contratação de agentes, aquisição de testes rápidos, fardamentos e inseticidas, para fortalecer as ações contra o inseto.


Devido ao período sazonal , há o aumento no número de casos, mas a chave é o planejamento e a prevenção como explica a secretaria de saúde  de Cruzeiro do Sul Valéria Lima.



“ A gestão do prefeito Zequinha tem trabalhado muito sempre adiantando as ações e sendo proativa,” relata ela, alertando  que o período chuvoso, que vai até março, é o mais crítico para a proliferação do mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue e de outras doenças, como zika e chikungunya.


" A gestão municipal está atenta e atuando e conta com o apoio de todos para evitar uma epidemia de dengue em Cruzeiro do Sul. É o período que temos a tendência de termos o aumento dos casos, porque todo e qualquer pequeno recipiente que tiver no quintal com a chuva, se tiver o ovo do mosquito depositado ali, vai nascer o mosquito. Por isso todos devem ficar atentos", explica.



A secretária também orienta que as pessoas que apresentarem sintomas de dengue, como febre, dor de cabeça, dor no corpo e manchas na pele, procurem uma unidade de saúde para fazer o diagnóstico e o tratamento adequados.


“É importante que a pessoa com os sintomas procure uma unidade de saúde. Com esses dados  a gente realiza os bloqueios com o  motor costal, que é para eliminar aquele mosquito que está ali sobrevoando infectado”, afirmou.



bottom of page